URGENTE: Escândalo envolvendo a vacina da Pfizer do Covid, repercute na imprensa mundial


Na última terça-feira (02/11), iniciou o PfizerGate, um enorme escândalo baseado em uma investigação publicada na revista médica BMJ, que denuncia a falsificação de dados e problemas de segurança durante o ensaio clínico da vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela Pfizer.

Um artigo publicado no British Medical Journal, uma das mais antigas e respeitadas publicações médicas do mundo, com mais de 180 anos de existência, questiona a integridade dos testes realizados para o desenvolvimento da vacina contra a covid-19 da Pfizer por uma empresa terceirizada chamada Ventavia.


O escândalo, divulgado pela mídia mundial e amplamente compartilhado em redes sociais como o Twitter, foi apelidado de PfizerGate.  A denúncia destaca possíveis transgressões em um dos locais escolhidos pelo laboratório da Pfizer, para conduzir seus testes clínicos do imunizante.

"No outono de 2020, o presidente e executivo-chefe da Pfizer, Albert Bourla, divulgou uma carta aberta a bilhões de pessoas em todo o mundo que estavam investindo suas esperanças em uma vacina covid-19 segura e eficaz para acabar com a pandemia. 'Como eu disse antes, estamos operando na velocidade da ciência', escreveu Bourla, explicando ao público quando eles poderiam esperar que uma vacina Pfizer fosse autorizada nos Estados Unidos. Mas, para os pesquisadores que estavam testando a vacina da Pfizer em vários locais no Texas durante aquele outono, a velocidade pode ter custado a integridade dos dados e a segurança do paciente", prossegue o artigo. "A revelação precoce e inadvertida pode ter ocorrido em uma escala muito mais ampla."

Qual a denúncia?

Um e-mail recebido em 25 de setembro pela FDA, contém uma dúzia de práticas questionáveis ​​da Pfizer, incluindo:

-Participantes colocados em um corredor após a injeção e não supervisionados pela equipe clínica;

-Falta de acompanhamento oportuno de pacientes com eventos adversos;

-Desvios de protocolo não relatados;

-Vacinas não armazenadas em temperaturas adequadas;

-Amostras de laboratório com marcação incorreta;

-Falta de equipe para limpar todos os participantes do ensaio que relataram sintomas;



Postar um comentário

0 Comentários