Patriota anuncia coronel Tomaso como candidato à prefeitura de Santarém


Com informações do G1/Santarém

Através de convenção partidária, na tarde desta segunda-feira (7), o partido Patriota, confirmou a candidatura do Coronel Héldson Tomaso à Prefeitura de Santarém, no oeste do Pará. 

Tomaso também conta com o apoio do movimento 'Direita Tapajós', que tem como integrantes empresários, profissionais liberais, servidores públicos e estudantes, que defendem a tendência politica de Direita Conservadora. 

Coronel Tomaso não irá utilizar o Fundo Eleitoral, que é o recurso público que vai bancar a campanha dos candidatos nas eleições municipais.

O vice da chapa ainda não está definido, mas se cogita o nome do professor Edvaldo Bernardo (PMN), que por muitos anos esteve à frente do movimento pela criação do estado do Tapajós.


BANDEIRAS DE CAMPANHA

-Foco na Gestão Inteligente;

-Buscar melhorar a qualidade de vida das pessoas;

-Transparência com o trato da coisa pública;

-Combate a desvios;

-Eficiência com trato dos recursos públicos;

-Trabalho integrado durante todo os 4 anos de governo.

-Trabalhar a emancipação política da região de velhas oligarquias que dominam Santarém.

PERFIL DO CANDIDATO

Coronel PM da reserva Héldson Tomaso Pereira de Lima, de 51 anos, é estreante na política. Filiado ao Patriota, concorre pela primeira vez à Prefeitura de Santarém, cidade na qual ele comandou de 2015 até março de 2019 o CPR 1 (Comando de Policiamento Regional 1).


Durante o período em que esteve à frente do CPR 1, Tomaso se destacou pela atuação firme no combate à criminalidade em Santarém e região do Baixo Amazonas, tomando a frente de operações como a Caravana da Segurança.


Além de diversos cursos na área de inteligência e segurança pública e orgânica, Tomaso é licenciado pleno em Matemática pela Universidade Estadual do Pará (Uepa), tem MBA em Inteligência Estratégica (Universo), Especialização em Gestão Estratégica em Defesa Social (Uepa) e Mestrado em Gestão Social e Mediação de Conflitos (UFPA).


É coautor dos livros: Violência no campus – UFPA – 2013; e, Segurança pública: gestão, conflitos, criminalidade, tecnologia da informação – UFPA - 2016.




Postar um comentário

0 Comentários