Pacientes com Covid-19 podem apresentar danos no coração após a recuperação



O cardiologista Roberto Kalil Filho, também presidente do Conselho Diretor do Incor, afirmou que a Covid-19 não é uma doença que atinge apenas o pulmão. Pelo contrário, a enfermidade causada pelo novo coronavírus é sistêmica — ou seja, atinge todo o corpo — e pode causar inflamação no coração mesmo após a recuperação. É isso o que constatam dois estudos: um deles, baseado em necrópsias por pneumonia em decorrência da Covid-19, mostrou que 60% dos corpos apresentavam o vírus também nos músculos do coração; o outro, feito com pacientes 70 dias após recuperados, mostrou que 78% estavam com o órgão inflamado.

“Mesmo sem sintomas cardíacos, isso mostra que o coronavírus, apesar de atingir predominantemente o pulmão, também atinge o coração”, disse. Em entrevista ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan, Kalil ressaltou que a Covid-19 pode causar arritmia cardíaca, infarto ou até miocardite — que é a agressão do vírus diretamente ao miocárdio, o que deixa o coração mais fraco. “As pessoas já com problemas cardíacos, os chamados grupos de risco, são população de ainda maior risco para isso. O novo coronavírus pode exacerbar o aparecimento de infarto ou a instabilidade do quadro cardíaco mesmo após a recuperação da doença.”

Além dessas consequência, o presidente do Conselho Diretor do Incor destacou outras maneiras que a Covid-19 pode afetar o corpo: atingindo veias e artérias, o que torna propícia a formação de coágulos. “Os coágulos podem favorecer, além do infarto, a embolia pulmonar, o AVC e a trombose cerebral. O mecanismo é o mesmo”, explicou. A trombose cerebral foi um dos diagnósticos do jornalista Rodrigo Rodrigues, que faleceu na última terça-feira (29), no Rio de Janeiro, após complicações da Covid-19.

Postar um comentário

0 Comentários