Banner

Banner

PARÁ: Programa Profissão Repórter vai mostrar a situação do rio Tapajós atingido pelos garimpos


No começo de 2022 uma mancha de lama se espalhou pelo rio Tapajós e virou notícia quando chegou a vila balneária de Alter do Chão, no município de Santarém, Oeste do Pará, destino turístico famoso por suas águas cristalinas.

Uma perícia feita pela Polícia Federal no final de fevereiro concluiu que a mudança na cor das águas foi provocada pelo aumento do garimpo ilegal e do desmatamento na região. A lama espantou turistas, afetou a economia local e deixou uma dúvida sobre a segurança de se viver às margens do Tapajós.

Os repórteres Mayara Teixeira e Thiago Jock partiram em busca de histórias sobre o impacto econômico na vida de quem dependia do turismo para sobreviver, mas ao longo dos dias de trabalho, encontraram histórias de pessoas doentes e que desconfiavam de uma substância despejada nas águas tanto pelo garimpo quanto pelo desmatamento: o mercúrio.

Uma pesquisa realizada pela Fiocruz apontou que em Santarém 75% dos participantes apresentaram concentrações do metal acima do limite de 10 μg/L (microgramas por litro) recomendado pela Organização Mundial da Saúde. Entre a população ribeirinha, a alta exposição de mercúrio chegou a mais de 90%. E em aldeias às margens dos rios afetados por garimpo, nove em cada dez participantes apresentaram alto nível de contaminação.

Casos de problemas odontológicos graves, queda de cabelo, comprometimento neurológico, má formação em fetos e até tipos graves de câncer podem estar associados à contaminação.

A equipe de reportagem foi até o Rio Tapajós em busca de histórias sobre o impacto econômico na vida de quem depende do turismo para sobreviver.

O programa vai ao ar nesta terça-feira (19), às 23:55 horas. 



Postar um comentário

0 Comentários