Banner

Banner

PARÁ: Sítios arqueológicos podem paralisar novamente algumas obras no município de Santarém


Em 2020, o Ministério Público Federal (MPF), recomendou que a prefeitura de Santarém, no oeste do Pará, consulte o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), antes de licenciar obras que possam afetar o patrimônio arqueológico do município.

Uma informação repassada por um membro do MPF para a redação do Tapajós Notícias cita que, poderá ocorrer novas paralisações de obras, devido a ocorrência de sítios arqueológicos em diversas regiões do município, onde estão ocorrendo as construções.

Segundo o MPF, o problema é que a região onde está Santarém é considerada um dos mais antigos assentamentos humanos da Amazônia, com vestígios materiais de importância incalculável.

No site do IPHAN, foi verificado uma lista de 75 sítios arqueológicos no município de Santarém. 

Abaixo, iremos citar alguns nomes de bairros, comunidades, lagos, serras e regiões de praias que estão localizados os sítios arqueológicos. Sendo eles: Porto de Santarém, Lago do Jacaré, Zenóbio, Terra Preta, Lago do Jacaré, Parauá-Centro, Aldeia, Carapanari, Irurama, Itapari, Serra do Carauari, Serra do Mocotó, Santa Rosa, Pajuçara, São Braz, Vila Nova, Juá, Jurucuy, Irurama, Genipapo, Cedro, Tabocal, Andirobal, Boa Fé, Carapanarí, Comunidade Terra Preta, Guaraná, Jacú, Jatobá, Lavras, Maracanã, Mararú, Porto Fluvial/DER, Ramal do Capim, Porto/Vera Paz, Miguel das Freiras, Serra Saubal/Embratel, Serra Grande, Serra do Curucuruí, Santana, Cuiarana.

CAMELÓDROMO

Em janeiro, o juiz Laércio de Oliveira Ramos, da 6ª Vara Cível e Empresarial de Santarém, concedeu liminar em Ação Civil Pública movida pela Promotoria de Justiça, contra a Prefeitura de Santarém, para suspensão imediata da construção de shopping popular (camelódromo) na Praça Rodrigues dos Santos.









Postar um comentário

0 Comentários