Banner

Banner

PARÁ: Região do Baixo Amazonas vai receber internet via cabo de 100 gigabites por segundo


Municípios do Amapá e do Pará já começam a se beneficiar com o Leilão do 5G, realizado em 2021 com a intenção de levar internet de quinta geração a todo o país. 

Os dois estados receberam a primeira etapa de ações do Programa Norte Conectado, que faz parte do Programa Amazônia Integrada Sustentável, coordenado pelo Ministério das Comunicações, cujo objetivo é disponibilizar internet ultrarrápida, com um mínimo de impacto ambiental, a 10 milhões de pessoas da Região Norte, em 58 municípios.

O projeto vai levar a conectividade à região por meio de 12 quilômetros de cabo ótico subfluvial, instalados dentro do rio amazônico, em infovias. 

A primeira etapa terá um cabo de 770 quilômetros, que vai levar internet com 100 gigabites por segundo de Macapá, no Amapá, a Alenquer, no Pará, passando por Almerim, Monte Alegre e Santarém. O sinal de fibra óptica será transmitido a instituições de ensino e pesquisa, hospitais, centros de saúde e unidades do poder judiciário, além do setor privado, beneficiando cerca de 1 milhão de moradores.

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, explica que o projeto só foi possível graças ao leilão não arrecadatório do 5G, ou seja, com o montante sendo direcionado à implantação da nova geração para o benefício da população. Desse modo, os R$ 1,5 bilhão que serão gastos na Infovia 00, nome dado ao primeiro trecho, são provenientes dos R$ 47 bilhões arrematados nos leilões de 2021.

“Isso vai trazer produtividade, vai trazer internet, vai acabar com a desigualdade social. As cidades (da Região Norte) que não tinham internet estavam sem condições de competir com as cidades que tinham internet”, destaca o ministro.

As desigualdades sociais na Região Norte, aliás, direcionaram as primeiras ações do governo federal quanto à instalação da infraestrutura necessária para a chegada do 5G. De acordo com levantamento sobre a política pública de banda larga, realizado em 2018 pelo TCU, a Região Norte é a que apresenta as piores condições de acesso no Brasil. 

O estudo aponta que apenas 3% dos domicílios com acesso à internet na área apresentavam velocidades de conexão acima dos 10 Megabits por segundo (Mbps). Além disso, a Região Norte apresentava o maior percentual (29%) de alunos de escolas localizadas em áreas urbanas desconectados da internet e, ainda, a maior parte dos estabelecimentos públicos de saúde que não acessavam à internet estava nesta região.

Além da instalação de pontos de acesso wi-fi gratuito em praças desses municípios, a internet de alta velocidade também será disponibilizada, nessa etapa, para 86 instituições de ensino, saúde e segurança pública. Serão 14 em Macapá e 72 nas outras quatro cidades paraenses. 

O objetivo, segundo o Ministério das Comunicações, é que a internet de alta velocidade já comece a funcionar em março, com a entrega das redes metropolitanas da Infovia 00.




Postar um comentário

0 Comentários