Banner

Banner

Donald Trump faz primeira postagem em sua nova rede social que não terá censura


A Truth Social, a nova rede social do ex-presidente Donald Trump, revelada ao mundo em 20 de outubro passado e até agora na promessa, está se encaminhando para entrar no ar, depois de uma sequência de adiamentos.

Na quinta-feira (17), a agência Reuters confirmou que cerca de 500 pessoas começaram a usar a versão preliminar da rede criada por Trump para “desafiar a tirania das Big Techs”.

O aplicativo já pode ser baixado na Apple Store, mas usuários reclamam de dificuldades técnicas, um sinal ruim para investidores no negócio. Há duas semanas, quando a data de lançamento foi novamente adiada, as ações da empresa com a qual Trump se associou para criar a rede e abrir capital em bolsa de valores despencaram.

Rede social de Trump em março

A confirmação do teste que antecedeu a entrada do aplicativo na loja da Apple foi feita pelo filho de Trump via Twitter, compartilhando o que seria o primeiro post do ex-presidente na nova rede.

Pouco modesto, Trump pede aos seguidores para se prepararem, pois em breve seu “presidente favorito” estará de volta. Na foto de perfil ele aparece sério, quase carrancudo, fazendo um estilo “guerreiro”.

Rede social do ex-presidente sem moderação

Trump prometeu que a nova rede será uma “experiência atraente e sem censura”, o que quer dizer sem moderação, com liberdade para muitos que se viram banidos das plataformas tradicionais por discurso de ódio ou teorias conspiratórias.

O próprio Trump perdeu suas contas nas redes, incluindo Twitter e Facebook, logo depois da invasão do Capitólio, em janeiro do ano passado.

A Truth Social está a cargo de uma nova empresa de mídia criada por Trump, a Trump Media & Technology Group (TMTG), que alardeia ter nascido com a missão de “dar voz a todos”.

No site do TMTG, a tela de abertura exibe uma bandeira americana em uma paisagem rural com o sol nascendo ao fundo, cenário interiorano associado a uma parcela importante do público conservador, que vive fora dos grandes centros urbanos americanos.

Postar um comentário

0 Comentários