Técnico da Seleção já avisou que não vai encontrar Bolsonaro se ganhar a Copa do Mundo

O técnico da Seleção Brasileira de futebol masculino, Tite, decidiu que não visitará o presidente Jair Bolsonaro em caso de conquista da Copa do Mundo em 2022, por temer que o encontro seja utilizado para fins políticos de Bolsonaro. A informação é do site GloboEsporte.

O Mundial do Catar terminará em 18 de dezembro, após as eleições, mas ainda sob o mandato de Bolsonaro. Segundo o veículo, a decisão de Tite de não se reunir com o ex-capitão é inegociável.

A Seleção Brasileira conquistou, até aqui, cinco títulos mundiais. Após os triunfos, os jogadores e a comissão técnica foram recebidos pelo presidente de plantão: Juscelino Kubitschek, em 1958; João Goulart, em 1962; Emílio Médici, ditador, em 1970; Itamar Franco, em 1994; e Fernando Henrique Cardoso, em 2002.

Postar um comentário

0 Comentários