Presidente da Petrobras defendeu em entrevista, os sucessivos reajustes dos combustíveis


PorBrasil Econômico


O presidente da Petrobras, Joaquim Silva e Luna afirmou que segurar os reajustes dos preços dos combustíveis pode provocar desabastecimento do produto nos postos. Em entrevista ao jornal O Globo, o executivo da estatal petroleira brasileira também alertou que interferência no preço do combustível "é uma coisa grave".

"Se o preço for praticado artificialmente vai haver desabastecimento no mercado. Isso é uma coisa grave e séria que a gente tem que estar atento. Os valores precisam permitir que haja a importação do combustível", apontou.

Silva e Luna afastou ainda a possibilidade de mudar a política de preços da companhia, destacando que Brasil não tem como evitar uma política de preços que acompanhe a cotação internacional do petróleo porque a importação do produto é responsável por cerca de 30% da gasolina e do diesel comercializados no país.


Mesmo assim, o presidente da Petrobras admitiu que existe pressão política para que o governo faça algo para conter os reajustes dos combustíveis, entretanto, garantiu, que as alterações de preços dos combustíveis têm sido baseadas em decisões técnicas e que essas pressões não partem do presidente Jair Bolsonaro.

Silva e Luna afastou ainda a possibilidade de mudar a política de preços da companhia, destacando que Brasil não tem como evitar uma política de preços que acompanhe a cotação internacional do petróleo porque a importação do produto é responsável por cerca de 30% da gasolina e do diesel comercializados no país.

Mesmo assim, o presidente da Petrobras admitiu que existe pressão política para que o governo faça algo para conter os reajustes dos combustíveis, entretanto, garantiu, que as alterações de preços dos combustíveis têm sido baseadas em decisões técnicas e que essas pressões não partem do presidente Jair Bolsonaro.

Postar um comentário

0 Comentários