Procuradores da República pedem que Senado rejeite pedido de impeachment de Moraes


Um funcionário do Palácio do Planalto entregou na sexta-feira (20), ao setor de protocolo do Senado, um pedido de impeachment do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal. O pedido foi feito pelo presidente Bolsonaro. 

A Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR), divulgou uma nota, contra o pedido de impeachment. Leia a nota abaixo. 

Brasília, 21/08/2021 - A Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) manifesta sua preocupação com a forma adotada pelo presidente da República para contestar as decisões tomadas por ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). O uso do pedido de impeachment para questionar entendimentos do tribunal consiste não apenas em remédio inadequado, mas também em fator de desestabilização na relação entre os Poderes da República.


O STF é instituição essencial à democracia brasileira, e o seu funcionamento pressupõe a garantia de independência de seus ministros e o respeito às suas decisões. Este pressuposto básico não impede a crítica aos entendimentos do tribunal nem a adoção dos meios cabíveis para mudá-los, desde que seja levado em conta o papel singular que a Constituição reservou à Suprema Corte.

Ao pedir o impeachment de um ministro do STF e prometer a formulação de pedido em relação a outro, o presidente da República avança o sinal para criar um cenário de intimidação na relação com o Poder Judiciário, o que fragiliza a nossa própria democracia. É necessário entender que o equilíbrio entre os Poderes demanda diálogo, harmonia e cooperação, e não a crença na supremacia de um Poder sobre os demais.

A ANPR espera que o Senado rejeite o pedido e que se restabeleça o ambiente de equilíbrio e respeito à democracia, valor que não pode ser colocado em risco por qualquer agente público.

Diretoria da Associação Nacional dos Procuradores da República

Postar um comentário

0 Comentários