Bolsonaro defende remédio que "reduz hormônios masculinos" para tratamento da Covid-19


Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro vêm divulgando nas redes sociais uma nova “cura milagrosa” contra a covid-19 sem que haja testes conclusivos sobre a medicação. É a proxalutamida, um antiandrogênico (bloqueador de testosterona) pela farmacêutica chinesa Kintor que vinha sendo testado inicialmente para tratamento contra o câncer de próstata.

BOLSONARO

Ao deixar o hospital Vila Nova Star, na manhã deste domingo (18), na zona sul de São Paulo, onde estava internado desde quarta-feira, 14, o presidente Jair Bolsonaro voltou a falar da "baixa efetividade da Coronavac". Ele defendeu ainda o uso de medicamentos de eficácia ainda não comprovada para tentar combater a covid-19, como a proxalutamida. "Minha mãe tem 94 anos. Se ficasse doente, eu autorizaria o tratamento dela com proxalutamida", disse o presidente a jornalistas, na saída do hospital.


Bolsonaro disse que vai chamar o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, para tratar dessa questão já nesta segunda-feira (19). Para o presidente, é preciso testar alternativas livremente.

ANTIANDROGÊNICO

Antiandrogênios é o nome dado a grupos de medicamentos que neutralizam os efeitos dos hormônios sexuais masculinos, testosterona e di-hidrotestosterona. Os hormônios sexuais masculinos também são conhecidos como andrógenos; antiandrogênicos também podem ser chamados de bloqueadores de receptores de andrógenos.

Alguns antiandrogênicos funcionam reduzindo a produção de andrógenos do corpo, outros bloqueiam os receptores de androgênios e limitam a capacidade do corpo de usar androgênios produzidos.

Os antiandrogênicos são utilizados no tratamento de várias condições e distúrbios, como câncer de próstata, puberdade precoce em homens jovens, hiperplasia prostática benigna, alopecia androgênica (queda de cabelo com padrão masculino) e distúrbios sexuais em homens.






Postar um comentário

0 Comentários