Ministro Onyx Lorenzoni ameaça deputado que denunciou esquema na compra de vacina


O Ministério Público Federal (MPF) identificou possíveis crimes na compra das 20 milhões de doses da vacina indiana anti-Covid Covaxin, produzida pelo laboratório Bharat Biotech, e vai levar o caso da esfera civil para a criminal.

Segundo o órgão, de acordo com diversos sites e jornais brasileiros, há suspeitas de superfaturamento no valor de cada dose – já que essa é a vacina mais cara comprada pelo Ministério da Saúde –; há dúvidas sobre qual a necessidade de haver uma intermediação na compra – nesse caso, realizada pela Precisa Medicamentos -; além de ter sido o único processo rápido para a compra. O valor total do acordo fechado pelo governo federal foi de R$ 1,6 bilhão.

DEPUTADO DENUNCIOU

O deputado Luís Miranda (DEM-DF) afirmou que alertou o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e o então ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, sobre um suposto esquema de corrupção envolvendo a compra da vacina Covaxin.

Em entrevista ao jornal O Estado de São Paulo, o parlamentar explicou que se encontrou com Bolsonaro em 20 de março para levar a denúncia ao presidente. A reunião ocorreu um mês após o governo assinar contrato com a Covaxin. De acordo com o parlamentar, ele apresentou documentos que apontavam irregularidades.

GOVERNO REGIU

O ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, Onyx Lorenzoni, afirmou que o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) está no trigésimo mês sem corrupção. Ele participa da coletiva de imprensa convocada na noite desta quarta-feira (23/6) para prestar esclarecimentos sobre a compra da Covaxin, a vacina indiana contra COVID-19.

“Quero lembrar aqui que este governo está no trigésimo mês sem nenhum caso de corrupção. Vou repetir: trigésimo mês sem nenhum caso de corrupção e assim ele continuará. Porque gostem ou não, nós somos diferentes”, afirmou o ministro. Em tom de ameaça, o ministro do governo Bolsonaro, mandou um recado ao deputado que denunciou um esquema de corrupção na compra de vacinas. 

Postar um comentário

0 Comentários