PARÁ: Deputado Eduardo Bolsonaro critica Delegada da Mulher do município de Parauapebas


O Deputado Eduardo Bolsonaro (PSL), fez algumas postagens em suas redes sociais criticando uma publicação da Delegada da Mulher, Carolina Carneiro, da Policia Civil do município de Parauapebas, Sudeste do Pará. 

A publicação da Delegada Carolina se refere a apreensão de uma arma, enquadrada na Lei Maria da Penha

A Delegada vem sofrendo muitos ataques por parte dos bolsonaristas, nas redes sociais. 


Um dos trechos da publicação, a Delegada cita a falsa sensação de segurança com a posse de uma arma. "A arma traz uma FALSA sensação de segurança e eu te afirmo isso porque somos o país onde mais morre policial no mundo. O Brasil é o país onde mais se mata policiais no mundo inteiro. No fundo, a arma reforça ainda mais o patriarcado e deixa nossas mulheres ainda mais vulneráveis diante dos seus algozes", afirmou a delegada. 

PUBLICAÇÃO DA DELEGADA 

"Essas armas foram retiradas de um agressor que as utilizou para ameaçar sua esposa no ambiente doméstico e familiar. Graças as Medidas Protetivas previstas da Lei Maria da Penha, a Deam de Parauapebas vêm, através do Poder Judiciário, retirando armas dos lares que estão sendo utilizadas para ameaçar vítimas. Muitos agressores alegam que possuem armas para defesa pessoal, acreditando que, caso sejam abordados por bandidos, conseguirão se defender e defender suas famílias. A arma traz uma FALSA sensação de segurança e eu te afirmo isso porque somos o país onde mais morre policial no mundo. O Brasil é o país onde mais se mata policiais no mundo inteiro. No fundo, a arma reforça ainda mais o patriarcado e deixa nossas mulheres ainda mais vulneráveis diante dos seus algozes. Neste ano de 2021, a Deam de Parauapebas já retirou 5 armas de circulação que foram usadas para ameaçar vítimas e não registramos nenhuma legítima defesa desses agressores com essas armas. Mulheres, não caiam nessa cilada, quem deve proteger a população é a polícia, a arma que seu marido comprou pra proteger a família, pode ser a arma que ele vai usar pra te matar ou te ameaçar. Denunciem se sentirem ameaçadas. Vocês não estão sozinhas! deamparaupebas@"


POSTAGEM DO DEPUTADO

A delegada Carolina Carneiro da PC-Pará limitou os comentários em seu post. Assim, rebato sua ideologia através deste post em minhas redes

"Arma reforça ainda mais o patriarcado"... "Arma traz uma falsa sensação de segurança"... "Quem deve proteger a população é a polícia"... Este pensamento doentio nos levou a recordes de mortes com uso de armas de fogo em 2017 (47.510 oficialmente), mesmo após aprovado o estatuto do desarmamento em 2003 por Lula no auge do mensalão. Vários outros países experimentaram o desarmamento seguido de milhões de mortes. "Pacifistas" como Hitler, Stalin, Mao Tse Tung, Fidel Castro e mais recentemente Hugo Chávez e Maduro, só pra citar alguns exemplos.

Desarmamento não se relaciona com segurança pública, mas sim com controle da sociedade. Quando nós queremos dar a liberdade ao cidadão de bem, que é aquele sem antecedentes criminais e apto pela lei a comprar uma arma, não desejamos que ele vire o Rambo e metralhe criminosos, mas sim tão somente que possa exercer o seu constitucional direito à legítima defesa. Afinal, a senhora deveria saber que a polícia não é onipresente e se fosse responsabilidade da polícia defender individualmente todo cidadão, então não seriam policiais e sim guarda-costas. Se assim não fosse, todo homicídio deveria ter um policial responsabilizado, pois ele falhou em defender aquela vítima individualmente.

Essas armas que a senhora dá a entender que só servem para ameaçar as mulheres, conscientemente ou não, acaba por ignorar que sim podem servir para legítima defesa. Não sei há quanto tempo trabalha na polícia, mas deveria saber que casos de legítima defesa (como mostrar a arma e afugentar um bandido, disparar para o alto e evitar um crime ou semelhantes situações) comumente não são registradas em B.O. - converse com seus colegas e certamente verá casos assim.

Em seu post original a senhora mistura atirador (CAC) com bandido, pois ambos têm armas - cuidado para não botar nesse bolo o policial também, hein. Mas vou te mostrar uma diferença simples: desconheço caso de atirador que resista à apreensão de suas armas, enquanto bandido só entrega sua arma morto ou se perceber que não há escapatória. Talvez a senhora não saiba disso, pois só tenha apreendido arma de atiradores. A propósito, trocou muito tiro com o atirador dono dessa arma que a senhora segura na foto?

Então, se armas causam tanto mal, por que a senhora trabalha com uma? Armas são pedaço de metal inanimados iguais a facas ou carros, sozinhas não fazem mal algum, precisam de um ser humano mal intencionado e isso há em qualquer lugar, seja na polícia, na política ou em qualquer profissão.

Em seu post original a senhora disse que o governo Bolsonaro vai passar, verdade, e a população sentirá falta da administração que logo em seu primeiro ano (2019) flexibilizou o acesso às armas e viu reduzir cerca de 20% o número de homicídios, um recorde desde quando se iniciou a medição em 1980. Talvez uma dessas vidas poupadas tenha sido a da senhora. E, mesmo que ignorem esta realidade e siga vivendo em sua bolha esquerdista de narrativas, nós continuaremos aqui a lutar pelo seu direito de não morrer, de lutar pela sua vida. Para que isso ocorra, num país onde policiais são caçados e cidadão assassinados por causa de um celular, só com acesso a armas de fogo, pois este é o único jeito de equiparar na força homens e mulheres, idosos e adultos, fortes e fracos fisicamente.

Por último, também fiz academia de polícia, mas meu sangue não se tornou azul e nem meu cérebro cresceu. Usar arma, como a senhora bem deve saber, é mais fácil do que dirigir um carro. Não sejamos tão insensíveis e sem solidariedade a ponto de achar que carregar uma arma é um direito divino, permitido apenas a poucos privilegiados. Respeitemos a vontade popular do Referendo de 2005 (64% a favor do direito de se armar - 59 milhões de votos). Afinal, nós servimos ao povo e não o contrário.

Postar um comentário

0 Comentários