PARÁ: Os desafios de realizar a vacinação de idosos na região do Baixo Amazonas


Texto: Weldon Luciano

A Prefeitura de Santarém, no Oeste do Pará, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), vem executando o cronograma de imunização contra a covid-19 nos grupos prioritários em todo o município, mobilizando equipes em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS) tanto na zona urbana quanto na zona rural. 

Na Amazônia, as avenidas e estradas são os rios da região. Devido a isso, a Secretaria de Saúde do município de Santarém, criou "Drive-Thru Fluvial", para facilitar o atendimento a população ribeirinha.  

Nas comunidades ribeirinhas, a vacinação dos idosos em embarcações foi um meio encontrado pelo governo municipal para avançar com a imunização. Isso porque na região do Tapará, durante o período do inverno, a cheia dos rios dificulta a atuação das equipes e a escassez de lugares amplos que possam receber ações de vacinação sem que haja aglomeração levou os profissionais a atuarem com a alternativa.


Assim como na cidade, na zona rural também tem ocorrido o sistema de Drive-Thru, em que os pacientes são vacinados sem sair do carro. No entanto, nas comunidades em que só é possível chegar por meio dos rios, a saída é realizar uma versão fluvial. Sem sair de suas embarcações, idosos de 66 anos ou mais estão sendo gradativamente vacinados.

“Quando chegamos eles já estavam na bajara aguardando e resolvemos vaciná-los lá mesmo por ser mais fácil e pelo fato de também estar chovendo no momento. Eles não tiveram que percorrer longas distâncias andando, muitos tem dificuldade de locomoção. Ao serem vacinados na própria embarcação eles foram poupados até mesmo do risco de algum acidente ao desembarcar, por exemplo. Para gente é ainda mais gratificante ver o sorriso no rostinho deles e ouvir as palavras de agradecimento, a gente já ganha o dia com isto”, ressaltou Samia Almeida, enfermeira que atua na UBS Tapará Grande.

Postar um comentário

0 Comentários