ALERTA: Presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, defende a criação de milícias


O ex-deputado e presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, defendeu durante uma transmissão ao vivo na internet, realizada no domingo (28/3), que sejam criadas milícias em Juiz de Fora (MG), para “dar um pau” na guarda municipal.

“Está precisando montar umas milícias em Juiz de Fora e dar um pau na guarda municipal. Um pau! Pau para quebrar, para piorar os caras”, afirmou o ex-deputado.

Segundo Jefferson, esses milicianos deveriam “atear fogo nas viaturas” e “dar pauladas nos joelhos e cotovelos, para quebrar”, afirmou o político. 

Nesta segunda-feira (29), o Comando da Guarda Municipal de Juiz de Fora, fez um ato de repúdio de forma dura e contundente contra Roberto Jefferson. Veja abaixo os 2 vídeos. 



Nota de repúdio - Forças de Segurança merecem respeito

A Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), entidade que representa mais de 14 mil policiais federais, recebeu com indignação a abjeta e irresponsável declaração do ex-deputado e ainda presidente do Partido Trabalhista Brasileiro, Roberto Jefferson. É impensável e inadmissível que uma pessoa que foi representante do povo incite a violência e defenda ações criminosas. Foi o que ele fez no último domingo (28) em live que circula nas redes sociais, quando defendeu a criação de milícias para agredir fisicamente os guardas municipais que cumprem seu dever ao reprimir a abertura de comércio em cidades que estão sob lockdown por determinação do Poder Executivo local.

As forças de segurança do País estão na linha de frente. Não pararam um dia sequer, mesmo em tempos de pandemia. E não é aceitável que um ex-representante do povo, que deveria compreender o que estabelece a Lei ao invés de afrontá-la, se manifeste de maneira vil contra profissionais que estão fazendo seu trabalho.

Ignorar a gravidade da tragédia que se abateu sobre o mundo e já causou a morte de mais de trezentos mil brasileiros é indigno de alguém que, um dia, foi eleito pelo povo para representá-lo. Provocar a ira das pessoas contra os guardas municipais significa agredir todos os policiais e, mais que isso, todos os profissionais que estão na linha de frente do combate à pandemia.

A Fenapef se solidariza com os colegas agredidos e pede à sociedade que fique atenta a quem está, de fato, trabalhando por ela. Aos políticos, pedimos, apenas, respeito.



Postar um comentário

0 Comentários