Sem apoio do Estado, trabalhadores e empresários sofrem com o "Lockdown" no Pará

A partir desta segunda-feira (1º), começou a valer o lockdown no Baixo Amazonas. O Decreto Estadual 800/2020, publicado no sábado (30), alterou o bandeiramento da região, que passou de vermelha para preta, indicando zona de contaminação aguda, com restrições mais severas.

A regra passa a ser a restrição máxima à circulação de pessoas, exceto por motivo de força maior. É possível o deslocamento de uma pessoa da família, que poderá estar acompanhado por criança pequena, para aquisição de alimentos, medicamentos, produtos médicos ou de higiene pessoal, exames e consultas médico-hospitalares, operações de saque e depósito de numerário e realização de trabalho, nos serviços e atividades consideradas essenciais, com a devida comprovação.

SEM AUXILIO EMERGENCIAL

Uma grande parte da mão de obra na região do Baixo Amazonas são de trabalhadores autônomos. Por causa do Lockdown, os trabalhadores estão sendo prejudicados devido as restrições de circulação, nos municípios.  

Outro grupo que vem sendo prejudicado e causando um grande número de desempregados, são os empresários, que estão tendo que fechar as portas, pois não tem mais condições de pagarem as contas do mês.

Devido as restrições do funcionamento desde dezembro, de algumas atividades [empresas], muitos trabalhadores foram demitidos, antes do natal. A situação na região do Baixo Amazonas é angustiante e sem perspectivas de melhorias, já que o governo estadual não tem nenhum plano para proteger a economia dos municípios da região.  

Postar um comentário

0 Comentários