Comunitários analisam controlar a entrada de banhistas na Ilha do Amor, em Alter-do-Chão


Na manhã do dia 16/02, lideranças do setor de turismo do Distrito de Alter-do-Chão e representantes da Prefeitura Municipal de Santarém, no Oeste do Pará, estiveram reunidos para discutir a reabertura das atividades turísticas da vila. 

A reunião foi uma iniciativa da "União de Pessoas Comuns de Alter-do-Chão", que através do administrador Distrital Kléber Costa, fez o envio de ofício solicitando uma conversa com as autoridades, tendo em vista a situação de diversas famílias que estão em fase de extrema necessidade e impossibilitadas de conseguir seu próprio sustento. Na ocasião estiveram presentes o coordenador da Vigilância Sanitária, o presidente da Associação dos Catraieiros de Alter-do-Chão, representantes da Associação de Condutores de Alter-do-Chão, membros da Cooperativa Turística Fluvial e Terrestre de Alter-do-Chão, além de representantes de restaurantes, pousadas, músicos e artistas de rua.

Até o momento, as praias de Santarém continuam fechadas, de acordo com o decreto municipal. 

Em pauta, o principal tema foi a reabertura de Alter-do-Chão para atividades turísticas. Como proposta, as lideranças de Alter-do-Chão, ofereceram um plano de ação com protocolos específicos para a liberação das praias em Alter-do-Chão, abrindo então para retomada gradativa das atividades e ajudando dessa forma a diversas famílias em situação financeira delicada, após os últimos decretos em vigência. 

Um dos pontos de destaque do plano de ação elaborado pelos próprios comunitários é o número de pessoas permitido na Ilha do Amor, que passa a ser monitorado pelos catraieiros e fiscalizado pelos lancheiros, gerando assim um compromisso entre as classes e fortalecendo assim as medidas de segurança, para que o poder público tenha condições de manter as atividades em funcionamento, sem prejuízo das ações de controle da pandemia.


Com informações da Luminar Comunicações

Postar um comentário

1 Comentários