PARÁ: Mulher é agredida por policiais e obrigada a se desculpar após agressão


RomaNews/ Pará

Uma cena revoltante e de indignação chamou a atenção de quem viajava em um navio que faz linha Portel/Belém, no estado do Pará, nessa quarta-feira (16).

De acordo com a denúncia, no momento em que o navio atracou no porto de Breves, na Ilha do Marajó, uma senhora que é paciente de TFD (Tratamento Fora do Domicílio) vinha a Belém, para uma consulta. Quando ela tentou atar uma rede para descansar durante a viagem, uma policial, que já estava na embarcação, impediu que a mesma se deitasse próxima a ela.


Durante a discussão, as duas começaram a brigar. Outras pessoas que também estavam no local tentaram separar elas, quando um homem, com a arma na mão, se identificado como policial civil e separou elas.

Um dos policiais civis presentes, exigiu que a mulher saísse do barco. Sem pedir explicações para ela sobre o ocorrido, ele a obrigou a sair do barco. A mulher pede ajuda a ele para retirar suas coisas do local e ele se nega ajudar. Ela explica que "está doente" e ele, sem se importar, disse que não queria saber da história dela, mas, utilizando de vocabulário impróprio.


A vítima foi levada para a Delegacia de Breves e obrigada a pedir desculpas aos policiais envolvidos na violência. Um vídeo foi gravado e também divulgado nas redes sociais.

Nas imagens é possível perceber a mulher nitidamente coagida e envergonhada, com a mão no rosto. Na sala, os policiais civis que a agrediram ordenam como deve ser feito o pedido de desculpas.

A senhora relata que foi as vias de fato com outra mulher por conta de uma rede. Ela diz que é doente e que foi agredida e empurrada dentro do barco e mesmo figurando como vítima, pede desculpas aos policiais.

O governador do estado, Helder Barbalho, repudiou a agressão e pediu apuração pela corregedoria do Polícia Civil. 

Postar um comentário

0 Comentários