SANTARÉM: A inércia dos 'conselheiros tutelares' em um provável caso de estupro


Uma denúncia gravíssima envolvendo um servidor da SESPA, identificado como Raylan Sebastião Matos da Silva, foi divulgada pelo jornal O Impacto.

Segundo a denúncia feita por sua filha, o indivíduo, que já possui um enorme histórico de acusações de violência familiar, agora é suspeito de abusar de uma filha de apenas 07 anos de idade.

Os conselheiros tutelares precisam sofrer uma grande investigação relacionada a inércia do provável caso estupro dessa menor de idade. 

De acordo com a denunciante, a criança começou a apresentar um comportamento estranho e se encontrava retraída e não queria comer. Quando a jovem veio para cuidar da menor, ao conversar com ela, a menina então confessou que o pai havia cometido o abuso sexual e que não foi a primeira vez. A irmã disse também que a menor apresenta bolhas e inchaço na vagina, e ao ser levada para realização de exame foi comprovado que ela está algum tipo de DST.

A jovem foi à delegacia fazer a denúncia e afirmou que já está cansada de tantos maus-tratos. Segundo ela, o homem já foi denunciado outras vezes por espancamento, violência doméstica, tem histórico de negligencia, maus-tratos, porém o conselho tutelar continua deixando a guarda dos filhos nas mãos do denunciado. “Ele me agredia, agredia os meus irmãos psicologicamente, fazia um terror, não deixava a gente ir para a casa da minha mãe visitar ela, era muito raro. Ela é separada. E ele me espancava várias vezes, tanto que eu já denunciei, tem histórico, tem a denúncia no conselho tutelar e nada acontece, então é por isso que eu estou fazendo esse apelo, para que alguma coisa aconteça. Para que essa criança não volte para a casa dele” – desabafou.

A denunciante também contou que está sentindo muito medo por conta da denúncia, pois o pai é um homem bastante violento, e com isso receia o que ele poderá vir a fazer contra ela ao saber da queixa.

No momento a menina de 07 anos está com a mãe e passa por acompanhamento psicológico. “A gente tá levando no psicólogo porque a criança não está comendo direito, ela mal dorme, quando ela vai dormir ela grita, chora, tem pesadelos”, contou.

Postar um comentário

0 Comentários