SANTARÉM: "Enquanto não houver vacina para o coronavírus, é precipitado falar em volta às aulas", afirma vereador

      

O vereador Dayan Serique (PL), usou a tribuna da Câmara durante a sessão desta quarta-feira (15), para manifestar a sua preocupação em relação ao retorno das atividades escolares nas redes municipal e estadual de ensino. O parlamentar reforça que essa é uma decisão temerária e que precisa ser planejada, debatida e bem pensada, uma vez que ainda não há vacina para o coronavírus.

“Eu acho que os alunos, profissionais de educação e as famílias devem permanecer resguardadas em casa, se protegendo, se cuidando. É perigoso reunir 40 alunos dentro de uma sala de aula, é um risco, sem contar que com a volta às aulas a chance de uma segunda onda de contaminação é ainda maior”, ponderou Serique.

Vereador Dayan Serique
Vereador Dayan Serique

Dayan foi enfático ao afirmar que é contra a reabertura das escolas nas atuais condições, e que as Secretarias Municipal e Estadual de Educação deveriam reunir com especialistas, comunidade científica, sindicatos e a Secretaria de Saúde sobre o retorno às aulas.

Já foi comprovado que o vírus quando entra no organismo das crianças se apresenta de forma leve, muitas vezes sem sintomas e dessa forma, os pequenos passam a ser transmissores da doença, passando o corona para os pais, avós e tios, que nesse caso podem contrair e evoluir para a forma mais grave da doença.

LEIA TAMBÉM: Helder Barbalho suspende o retorno das aulas no mês de Agosto

O vereador lembrou que muitos eventos nacionais e estaduais, de grande porte, que movimentam a economia foram cancelados justamente por não haver um tratamento eficaz contra o coronavírus, “não temos vacina e eu entendo que é preferível perder o ano escolar do que perder a vida, perder filhos entes queridos e amigos”, enfatizou Dayan Serique.

Mais uma vez, o parlamentar reiterou que a segurança e bem-estar dos estudantes, professores e demais profissionais da educação deve ser prioridade, uma vez que o corpo docente também será afetado. Esses profissionais também tem família, se expõem e ainda correm o risco de propagar o vírus em seu círculo social. “Nosso bem maior é a vida, sem vida nem podemos seguir com as nossas conquistas. A educação é importante sim, mas se manter vivo é mais importante” encerrou.

CONTÁGIO

Em Santarém, há 5.082 casos confirmados e 291 mortes. Uma pesquisa realizada pela Universidade de Granada, na Espanha, apontou que colocar 20 crianças numa sala de aula vai acarretar em 808 contatos cruzados em apenas dois dias. Isso se a criança se relacionar apenas com os colegas de classe e não tiver contatos fora de casa. Uma única pessoa contaminada nesse meio, portanto, tem um potencial de transmissão gravíssimo.


Postar um comentário

0 Comentários