CORONAVÍRUS: A falsa realidade dos números no estado do Pará

        

A "restrição" na testagem em casos suspeitos por Covid-19 continuam no Estado do Pará. Nem todos tem acesso. Somente os casos graves e óbitos estão sendo realizados os testes. Isso mostra que os números de casos confirmados pela Covid-19 no estado do Pará, podem ser maiores. 


Essa situação determina uma falsa realidade nos casos confirmados de Covid-19 no estado. As famílias estão tendo muita dificuldade para realizar a testagem na pessoa com suspeita de Covid-19 e nos membros da família que tiveram contado direto com o doente suspeito. Segundo denúncia recebida de doentes suspeitos da Covid-19, está havendo uma seletividade na hora de testar. "Pobre não tem acesso aos testes", comentou um dos denunciantes em contato com a redação do Tapajós Notícias. 

TESTAGEM EFICIENTE 

A Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo começou no dia 13/07, a testar até cinco pessoas da família de quem for diagnosticado com a Covid-19. Agentes de saúde estão indo na casa da família para fazer os testes e quem morar na residência terá de cumprir isolamento social para controle da doença. O teste sorológico está sendo realizado a partir do 10º dia da data de início dos sintomas do caso confirmado.

Quando houver confirmação de um caso, a prefeitura está testando as pessoas da família do infectado e, enquanto não sair o resultado, dar um atestado pelo período de dez dias para que os familiares permaneçam em casa.

"Vamos na casa da pessoa e vamos testar, em média, cinco contactantes familiares dessa pessoa sintomática positiva. Nós vamos fazer o teste dessas cinco pessoas em média, tem famílias que tem menos e tem famílias que tem mais, vamos dar um atestado médico para que essas pessoas, até que saia o resultado do teste essas pessoas fiquem em casa. Com isso, a gente reduz a movimentação dessas pessoas na cidade, no trabalho, e conseguimos reduzir a transmissibilidade dessas pessoas", explicou o secretário municipal da Saúde Edson Aparecido.

Postar um comentário

0 Comentários