CORONAVÍRUS: Entidade de medicina orienta sobre os exercícios físicos fora de casa



O isolamento social decorrente da quarentena em vigor em muitas cidades é tido como essencial na tentativa de "achatar a curva" de infecção pelo novo coronavírus no país, mas tem cobrado um preço à saúde física e mental dos brasileiros. 

Muitos deles têm recorrido às atividades ao ar livre para afastar o pensamento das preocupações e das consequências negativas do confinamento. 

A Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte em sua última manifestação (Clique), sobre o assunto, no dia 30 de março, diz recomendar a prática "desde que não proibida por lei decretada pelo poder Executivo". 

-Realizar exercício físico ao ar livre (como caminhar, correr, pedalar etc.) aumenta o risco de infecção pelo coronavírus? 

Resposta: De acordo com a OMS, o MSB e a nossa Sociedade (SBMEE), realizar exercício físico ao ar livre está recomendado, observando sempre os protocolos de prevenção amplamente conhecidos. Ressaltem-se os cuidados para que o exercício seja feito de forma isolada (nunca em grupo), evitando aglomerações e contatos pessoais próximos, respeitando distância interpessoal adequada (pelo menos de um metro, segundo o MSB), além de manter os cuidados preconizados de etiqueta respiratória e de higiene. Em relação a estes protocolos preventivos, cabe ressaltar que, ao sair de casa, o praticante pode se expor a situações de imprevisibilidade, precisando estar atento para evitar a possibilidade de aproximação inadequada com outras pessoas em elevadores de prédios, áreas comuns de condomínios e em espaços públicos (já que outros podem ter a mesma ideia de se dirigir àquele local escolhido, causando aglomerações indesejadas), além do risco potencial de contato com superfícies diversas (botões, corrimão, maçanetas, portas, barras de apoio e/ou para alongamento etc.), eventualmente contaminadas. Portanto, a prática de exercício ao ar livre, desde que não proibida por lei decretada pelo poder executivo, para determinada localidade ou região, está recomendada, por ter, reconhecidamente, efeitos benéficos para a saúde física e mental (especialmente nesse período de redução de mobilidade social), mas precisando seguir sempre as recomendações de distanciamento e de higiene preventiva, preconizadas pelos órgãos oficiais de saúde.

Postar um comentário

0 Comentários